“Nunca deixe que o futuro o perturbe. Você vai encontrá-lo, se preciso, com as mesmas armas e razões que o equipam para enfrentar o presente” – Marcus Aurelius

Há várias maneiras de se preparar para o que pode aparecer no seu caminho, seja isso um projeto importante no trabalho, uma crise, a perda de alguém amado, uma discussão com um parceiro ou o apocalipse zumbi.

Uma das maneiras é preparar tudo para qualquer coisa que possa acontecer: pegue todo o seu equipamento de sobrevivência, pratique suas habilidades, planeje para projetos no trabalho, harmonize seus relacionamentos, pense sobre seus argumentos, e por aí vai.

O problema é que você não sabe o que está vindo. Assim, você irá gastar toda a sua vida se preparando para um monte de coisas, e, mesmo assim, não estará pronto. E quem quer viver uma vida inteira apenas se preparando?

Outra maneira de se preparar é aprender algumas habilidades que vão te deixar pronto para o que der e vier.

Este é o kit de sobrevivência da vida.

Primeiro, a filosofia: você não pode se preparar para os detalhes de cada coisa possível que possa acontecer no futuro, pois o futuro é incerto. Ao invés disso, perceba que os eventos externos são apenas detalhes… o questão real é se preparar para o que possa acontecer internamente. Então, nós vamos aprender algumas habilidades interiores que nos ajudarão a lidar com o que o futuro possa trazer.

Segundo, a última coisa antes de se preparar: Eu tenho descoberto que mesmo que os fatores externos não sejam tão importantes como os internos, ainda assim é uma boa manter a casa em ordem o máximo possível. Isso significa ter as finanças em ordem – se livrar das dívidas, ou ao menos, ter uma lista de dívidas e um plano para paga-las assim que conseguir, tenha um fundo de emergência, gaste menos do que ganha e invista o máximo que conseguir. Isso significa simplificar as suas posses e o seu tempo. Cuide da sua saúde – foque em comer comidas saudáveis (vegetais, de preferência) e evitar alimentos processados, torne-se uma pessoa ativa. Uma vez que você organizar essas coisas, o restante da vida é muito, muito mais fácil.

O Kit de Sobrevivência

Se você aprender essas habilidades, estará preparado para qualquer coisa – desde trabalho, assuntos pessoas, crises, até outras mudanças drásticas na vida.

Plenitude mental (Mindfulness*) – Essa é a fundação, a base – sem praticar mindfulness, você não será capaz de desenvolver outras habilidades de forma regular até que elas se tornem úteis. Você pode praticar a plenitude mental apenas meditando – foque na sua respiração durante poucos minutos todas as manhãs, comece desenvolvendo isso. Quando for ficando melhor nisso, você vai começar a notar o que se passa internamente assim que os eventos externos acontecem.

Observe sua resposta interna – Quando você começar a notar as suas respostas mentais para eventos externos, você pode começar a guiar suas respostas. Por exemplo, você assume um projeto importante de última hora, você pode notar a sua respiração ficando superficial e a tensão no seu peito ou na sua mandíbula aumentar…. você então pode perceber que está extremamente ansioso sobre isso, até mesmo arrependido de ter assumido o risco. Então, você pode examinar as suas respostas – ansiedade, arrependimento – e decidir como reagir, ao invés de deixar ser controlado por eles.

Veja no que você está apegado – Quando temos sentimentos difíceis, como ansiedade, raiva, arrependimento, medo (incluindo procrastinação), normalmente há algum apego que está causando esse sentimento. No início, pode ser algo difícil de notar , mas com pratica você pode perceber isso instantaneamente. Se você está raivoso ou arrependido, há algum ideal que você está preso, torcendo para que a realidade seja igual ao que você quer, mas isso não acontece. Por exemplo, talvez alguém tenha dito algo rude com você… você pode sentir raiva porque (idealmente) eles não deveriam te tratar dessa forma. E não importa se você está certo ou não – se você querer que as coisas sejam diferentes da realidade, você vai se sentir com raiva, frustrado ou arrependido. Perceber o ideal que você está preso é um grande passo.

Solte, deixe ir – É praticamente impossível não se apoiar em certos ideais… mas se este ideal está causando sofrimento, você pode ser compassivo consigo mesmo e abrir mão desse ideal. Claro que as pessoas deveriam te tratar de forma educada, mas isso é um ideal e nem sempre vai acontecer. Abrir mão do ideal significa ter uma visão mais ampla do comportamento que as pessoas terão, e isso faz parte da vida. Pessoas não agem sempre de forma ideal. Precisamos aceitar isso e não forçar que um ideal vire realidade.

Responda apropriadamente – Aceitar a realidade não significa passividade ou que você não faz nada. Isso significa apenas que você abre mão de ideais que estão causando sofrimento e, então, descobre como agir sem a raiva, frustração, ansiedade ou ressentimento. Responder uma pessoa ou situação com raiva ou ressentimento, por exemplo, nem sempre é a melhor resposta. Se você puder abrir mão do ideal e deixar os sentimentos ruins irem embora, você pode responder à situação de forma mais apropriada. Quando uma criança quebra um prato, por exemplo, eu posso ficar com raiva (“Eles não deveriam quebrar pratos”) e gritar (modo não hábil), ou eu posso abrir mão do ideal, e da raiva resultante disso. Quando reagimos com raiva ou medo, apenas misturamos as coisas. Responder às situações de forma calma e compassiva significa que seremos capazes de lidar com tudo que aparece na nossa frente, seja uma crise, uma perda ou a raiva da pessoa amada.

Esteja presente – Nós tornamos as situações piores quando a repassamos pela nossa cabeça (“Como eles fizeram aquilo?”) ou quando pensamos em tudo que pode dar errado no futuro. As coisas estão OK no momento presente. Podemos vivenciar esse momento com calma e compaixão se ficarmos nos presente. Isso significa ser consciente sobre quando a nossa mente fica presa no passado ou especulando sobre o futuro, e retornar sempre que possível para o momento presente.

Seja grato e aceite esse momento pelo que ele é. A realidade é dura, se quisermos que ela seja diferente… ou podemos aceitar a realidade pelo que ela é e ser gratos por isso. Isso leva tempo e muita prática, é difícil ser grato pelo que se sente quando estamos sendo tratados mau, ou perdemos o emprego, ou passamos por uma separação ou estamos lutando contra uma doença. Por outro lado, essa é a realidade que você tem, não o ideal que você deseja ter tido. E é uma realidade que contém coisas belas, se escolhermos enxergá-las. Essa habilidade nos deixa muito mais em paz para lidarmos com o que quer que seja.

Pode ser extremamente simplista dizer que esse kit de sobrevivência para lidar com a vida nos ajuda a estar preparados para qualquer situação. E realmente é. Mas não há nada de errado em simplificar as coisas, isso apenas nos ajuda a concentrar nossos esforços no que realmente interessa.

Na minha opinião, essas habilidades importam. Eles fazem grande diferença. Pratique-as e veja como será capaz de lidar com a vida de uma forma completamente nova.


*Mindfulness – Eu não sei traduzir esse termo.
Artigo retirado do blog Zen Habits, escrito por Leo Babauta. Traduzido por Aécio Neto.