Comece por admitir que excelência não vêm através das distrações que frequentemente ocupam a nossa vida.

Ela vêm através da diferença que fazemos no mundo.

Agora, considere como você pode fazer a diferença na vida dos outros. Considere o seu trabalho atual, o qual talvez já faça diferença – como você pode encarar esse trabalho de outra maneira? Ou considere criar um projeto paralelo ou começar a criar tempo para isso.

Seja um exemplo de compaixão para os outros que estão ao seu redor.

Saiba que não importa se você alcançar o nível de compaixão que você gostaria de alcançar – o que interessa é a intenção de melhorar a vida dos outros. Você não pode controlar o resultado, mas você pode controlar a intenção.

E você pode aparecer diariamente. Com essa intenção.

Arrume o tempo. Coloque o resto de lado. Perceba que a vida é limitada, preciosa e incrível, e você não deveria desperdiçar nem um minuto.

Busque esse objetivo compassivo com devoção plena. Isso importa e todo o resto pode ser posto de lado, a menos que isso ajude o seu trabalho. (Boa saúde ajuda o seu trabalho, inclusive boa alimentação, exercícios e sono.)

Pratique até se tornar Formidável.

Esse trabalho compassivo, bem intencionado e feito com devoção: isso é excelência.


Artigo retirado do blog Zen Habits, escrito por Leo Babauta. Traduzido por Aécio Neto