Por um longo período a falta de confiança em mim foi uma constante na minha vida.

Eu não buscava uma carreira ideal, nem abri meu próprio negócio porque eu não acreditava que seria capaz. Eu não persistia com meus hábitos porque acreditava que não tinha a disciplina. Eu era tímido com as garotas e sofria para fazer novos amigos, eu não reivindicava meu espaço no trabalho. Eu não saia da minha zona de conforto.

Tudo porque eu realmente não acreditava que eu poderia.

Apesar de não estar livre de autodúvidas hoje em dia, eu posso afirmar que acredito em mim mesmo como nunca acreditei. Isso não significa que eu acho que nunca vou falhar ou desistir: Eu vou.

E está tudo bem.

A habilidade que aprendi é que é tranquilo tentar algo e falhar, dar a cara a tapa e não ser perfeito, dizer olá para alguém e não ser amado instantaneamente, de criar algo e ter as pessoas te julgando.

Falhas, erros, não ser perfeito, ter pessoas que não concordam comigo, não ser completamente aceito: essas coisas não são negativas. Elas são positivas.

Como o insucesso é positivo? É a única maneira que verdadeiramente aprendemos. Por exemplo: você pode ler um livro de matemática, mas até tentar algo e errar você nunca irá perceber onde lhe falta entendimento. A melhor forma de aprender algo é estudar um pouco, e depois testar aquilo, fazer exercícios, errar e depois aprender um pouco mais.

Como os erros são positivos? Eles são pequenos feedbacks para crescermos a aprendermos.

Como ser rejeitado é positivo? Significa que você está indo além do reino dos que são socialmente aceitáveis. As melhores pessoas na história não eram socialmente bem vistas: contadores da verdade como Socrates, Jesus, Gandhi, Proudhon e Bakunin, Martin Luther King Jr., defensores dos animais Peter Singer, pioneiros em unshooling John Holt, ativistas feministas, abolicionistas e muitos outros.

Essas coisas que tememos – são na verdade desejáveis. Temos que aprender a vê-las desse jeito, abraça-las e abrir mão do medo.

Podemos ficar melhor nisso – o que requer muita prática – podemos começar por remover as coisas que nos seguram.

Então pratique:

Sair da sua zona de conforto, aumente a sua zona de desconforto.

Coloque-se lá fora, dê a cara a tapa e esteja OK com o fato de não saber se as pessoas iram te aceitar.

Persevere com um hábito, não escute aquele voz negativa que normalmente te atrapalha.

Persevere mais um pouco e aprenda a confiar em si mesmo.

Viva situações inusitadas, onde você não sabe o que vai acontecer e esteja OK com isso.

Aprenda através de tentativas repetidas de que é OK falhar, que você pode estar OK diante de insucessos.

Aprenda através de experiências constantes que você é mais forte do que pensa, que você é mais capaz e tolerante ao desconforto do que imagina.

E durante essa prática você irá encontrar a si mesmo. E vai perceber que era formidável o tempo todo.

Artigo retirado do blog Zen Habits, escrito por Leo Babauta. Traduzido por Aécio Neto