“Há duas maneiras de lavar os pratos. Uma maneira é lavar pratos para obter pratos limpos, e a outra maneira é lavar os pratos para lavar os pratos” – Thich Nhat Hanh

A qualidade de estarmos atentos ao que fazemos no momento é muito importante, porque o momento presente é tudo que temos. A única coisa que está acontecendo é o momento presente, tão rápido que já quase perdemos antes mesmo dele chegar.

Se não estivéssemos presentes apenas de vez em quando, não teria importância; mas o fato é que não estamos presentes na maior parte de nossas vidas. Há um sentimento de que falta algo, de que há algo a mais e esse algo a mais parece nunca acontecer. Talvez ele aconteça, mas estamos vivendo o que aconteceu ou ou que vai acontecer e o algo a mais passa batido.

Normalmente, em qualquer atividade que fazemos, queremos um resultado, a nossa mente está travando conversas sem fim, imaginando situações que podem acontecer ou já aconteceram e dessa maneira, tudo parece acontecer sem que a gente perceba.

Enquanto escrevo esse texto me pergunto quem vai ler, o que vão dizer, qual será a palavra certa? Sinto uma certa ansiedade, pois “tenho que postar no blog” e, dessa forma acabo perdendo um pouco do momento presente. Posso escrever um texto porque quero um artigo pronto ou posso escrever para escrever.

Escrever para escrever é sentir a respiração e as palavras passando da sua mente para as pontas dos dedos, sentir as teclas sendo pressionadas e perceber as palavras aparecendo na tela.

Como treinar isso no dia a dia?

Viver o momento presente é um hábito que venho desenvolvendo e estou longe de ficar bom nisso, normalmente ainda me pego “ouvindo” alguém em uma conversa enquanto penso no que vou dizer, ou escrevendo um texto pensando que horas irei publicar, etc. Por outro lado, há algumas práticas que tem ajudado bastante e que gostaria de compartilhar com vocês.

Fique sem fazer nada – Sente-se por um momento ou vá deitar sem o celular pra checar ou a TV pra fazer barulho no fundo ou sem aquele livro para ler. Fique a sós consigo mesmo, perceba sua respiração, sinta seu corpo (pés, orelha), observe sua mente divagando.

Parece ser fácil fazer isso, mas não é. Confesso que sempre pensei que gostasse de ficar a sós comigo mesmo, mas a sós significava ler um livro, ver um filme, jogar um jogo, ou seja, eu corria da minha presença. Qual foi a última vez que você ficou a sós consigo mesmo?

Faça trabalhos manuais – Desenhe, pinte, construa, costure, lave pratos, passe roupa. Esse tipo de atividade muitas vezes requer ações automáticas, dessa maneira, é mais fácil perceber ou sentir o que está acontecendo. Seja a temperatura da água, a textura da roupa, o riscar do lápis. Assim, você vive aquele momento e percebe o momento presente.

Respire e relaxe – Inspirar e expirar com consciência é uma maneira de ficar instantaneamente centrado. Não podemos respirar no passado ou no futuro, apenas no presente.

Respirar diminui a ansiedade e nos deixa cientes do que está acontecendo. Dessa forma, auxilia no nosso processo de tomada de decisões e pode gerar muita felicidade e disposição.

Cultive o silêncio – Se vá correr ou malhar, desligue o fone de ouvido e observe o seu corpo, sinta o esforço, a contração muscular, o suor. Lembre-se, você pode malhar por malhar ou malhar pra ter um corpo firme, o que vai ser?

Vá dormir sem o celular, deite e sinta a cama, os lençóis, a sua respiração. Desligue a TV ou o som do carro. Pare no semáforo e observe o que está acontecendo, o movimento dos carros, o farfalhar das árvores, o vento, o barulho.

Ao longo do dia, existem inúmeras oportunidades para voltarmos ao nosso centro, ao nosso ser consciente – escovando os dentes, comendo e bebendo, lavando pratos, trocando de roupa. use esses momentos para saber o que está fazendo. Tudo faz parte do treinamento para estarmos presentes. O presente é tudo que temos.

Estar presente é o que dá sabor a tudo o que fazemos. Estar presente é o algo a mais que muitas vezes nos falta.

O que você tem feito para estar presente? Qual a última vez que ficou a sós consigo mesmo e como foi a experiência? Compartilhe conosco nos comentários.