Primeiros passos no Facebook Ads

Como diz o ditado: o melhor jeito de aprender é fazendo. Com esse mantra em mente, comecei a estudar marketing digital, e uma das vertentes dessa área são os links patrocinados (esses anúncios que vemos no Instagram e também no Google – só para citar os mais comuns). 
 
A seguir, compartilho alguns erros comuns (que já cometi) ao usar o Facebook Ads e o Google Ads.

INVESTIR SEM UM FOFOQUEIRO

Você já percebeu que quase todo site que você visita apresenta um recado sobre política de privacidade ou Cookies? É uma pequena caixa de texto com um botão “concordar” escrito nele. 

Exemplo de política de privacidae
Esses Cookies são os Fofoqueiros da internet. São pequenos códigos que colocamos em nossos sites para rastrear o que os visitantes fazem. Alguns exemplos: onde eles clicam, o que compram, quanto tempo permaneceram no site, se adicionaram algum produto ao carrinho, se abandonaram o carrinho durante o checkout, etc. 
 
No Facebook Ads, chamamos esse fofoqueiro de “Pixel”. No Google Ads, são tags de acompanhamento ou conversão. Elas podem ser instaladas através de integrações das ferramentas do Google (Google Ads, Analytics e o Google Tag Manager)
 
Investir em anúncios com essas ferramentas configuradas nos ajuda a medir nossos esforços de marketing. Qual o retorno que tivemos? Essa campanha gerou quantas vendas? O retorno maior é no Instagram, Facebook ou Google? 
 
Com os fofoqueiros ativos, fica mais fácil melhorar as campanhas, medir os resultados e tomar decisões. 
 
Já investi sem essas ferramentas integradas, a sensação era que os atendimentos e orçamentos aumentavam. Mas eu não tinha informações confiáveis para saber se aquilo era lucrativo. 
 
Portanto, caso você aprender fazendo, dê um jeito de integrar tais ferramentas. Você pode pedir ajuda ao seu gestor de tráfego ou desenvolvedor pra te ajudar com isso. Caso utilize uma plataforma de ecommerce, o processo é mais fácil. 
 
No início, tudo parece bem complicado. No final, vai parecer que está no início. Mas você consegue. Força. 

Pulverizar a verba em várias linhas de produtos

Na primeira vez que fui criar campanhas, seja no Facebook ou Google Ads, eu pequei meus 2 reais pra investir e dividi pra 6 linhas de produtos diferentes.

caetano veloso e o marketing digital
Caetano Veloso revisando minhas campanhas.
Você já deve ter imaginado que não sobrou muita coisa para cada linha de produtos. Mas esse é apenas a ponta do iceberg. Veja:
 
Cada linha de produto requer, no mínimo, uma campanha de divulgação. Cada campanha requer, no mínimo, um público para divulgação e um anúncio. Como resultado disso, ao optar por divulgar várias linhas de produtos, o nosso trabalho se multiplica rapidamente. São muitos anúncios para criar – fotos, artes, legendas, vídeos… respira. 
 
Vá com calma. Se você vende brincos, anéis e colares. Escolha uma linha e foque nela. 
 
É mais fácil coletar os dados de uma única campanha e focar em melhorá-la. À medida que o resultado evolui, você passa para as próximas. 
 
Talvez você tenha que testar vários produtos para ver o que vende melhor. Mesmo assim, eu ainda arrisco dizer que é melhor testar um de cada vez, pois há muitas variáveis a serem testadas (artes, textos, públicos, etc). 
 
Mãos à passa. 
 
Me conta nos comentários como estão os resultados aí. 
 
Abraço! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.